DSC00748-esticado.jpg

Oi. Eu sou Nani Barbosa, sou cantora, professora de canto e musicoterapeuta.

Acredito que todas as pessoas podem encontrar a sua própria identidade e expressão no canto. Estou aqui para ajudá-las.

  • Ícone do Facebook Preto
  • Ícone do Twitter Preto
  • Ícone do YouTube Preto

Todas as pessoas podem cantar, porque todas possuem musicalidade, que se manifesta desde a vida intraulterina. A voz é nosso primeiro instrumento e cantar não deveria ser um privilégio de poucos, mas uma oportunidade para cada pessoa que queira este desenvolver este potente instrumento e colocar sua voz no mundo.

COMO EU TRABALHO

Atuo profissionalmente na música há 25 anos e no ensino de canto há mais de 20 anos . Sou apaixonada por voz e desenvolvimento humano e venho unindo estes dois campos de estudo ao canto.  Alinhada à minha formação em Musicoterapia, faço continuamente cursos e formações em ciências da voz, pedagogia do canto, processos terapêuticos e pesquiso sobre voz, improvisação, performance e criatividade.

DSC01195.jpg

Quanto mais estudo e pesquiso, mais percebo que o caminho do ensino do canto é também um caminho de retorno, de reconexão, de desvendar o que cada pessoa já é em sua essência, em sua potência, e que muitas vezes não conhece. Isso se faz através do trabalho técnico, expressivo, criativo e pelo aprofundamento no universo da música e da cultura que fazemos em cada aula.

 

Depois de mais de 20 anos trabalhando com tantas pessoas diferentes, de cantores profissionais a pessoas que nunca cantaram, percebo que o  trabalho com a voz é este mergulho profundo naquilo que cada pessoa tem de mais precioso, de bonito e que muitas vezes está adormecido, silenciado ou está gritando por encontrar meios para poder vir para fora.  Neste percurso conta muito a história e os desejos que essa voz traz e juntos traçamos um plano de trabalho.

 

Na prática, este plano de trabalho pode se devolver em torno de três principais eixos:

 

01

Musicalidade

A musicalidade é a forma como nos relacionamos com a música e nos comunicamos através dela. Ela também está relacionada à cultura e estilos com os quais nos identificamos. Por isso, o repertório do teu interesse, aquele que melhor se conecta à experiência da sua vida é o ponto de partida. Começamos com a escuta deste repertório e aspectos musicais contidos nele como melodia, ritmo, harmonia e letra. A escuta da própria voz neste processo é importante. Com o tempo, ampliamos esta escuta e as referências musicais e culturais como parte do processo de aprendizado e desenvolvimento no canto.

02

Técnica

A técnica aqui é um dos caminhos para que a pessoa possa se conhecer cada vez mais, para saber como usar a própria voz para aquilo que ela quer expressar. 

 

Neste sentido, os aspectos técnicos são trabalhados já a partir do primeiro encontro/aula e começa por uma avaliação e uma conversa inicial.  Nesta avaliação e conversa  consigo perceber como é possível alinhar o desenvolvimento técnico em que a pessoa se encontra ao desejo  que ela tem de expressão.


Em seguida, partimos para a prática de exercícios e de ajustes nas músicas. Incluem, por exemplo, exercícios funcionais para as musculaturas da laringe, práticas corporais associadas a vocalizes ou ajustes acústicos dentro de um trecho musical. O objetivo do trabalho técnico é  poder acessar de forma mais orgânica e fluida a música que se quer cantar. 

03

Expressão/Criatividade

 Acredito que a voz de cada pessoa carrega muito daquilo de ela tem de mais precioso. É também, queiramos ou não, a transparência da nossa alma, das nossas emoções. Por isso acredito em um espaço acolhedor, de escuta e de criatividade para acessar a expressão genuína que  cada pessoa traz.

 

No aspecto criativo existem alguns eixos de trabalho como a escuta de repertório, o convite a entramos em contato com a nossa ancestralidade, propostas corporais associadas à voz e ao canto, jogos de improvisação vocais e vivência corporal rítmica. São muitos os caminhos que são desenvolvidos em cada aula.

Cada pessoa tem uma voz única e uma musicalidade que pode ser expressa de alguma forma. A busca dessa voz revela muito daquilo que nós somos, revela a nossa essência, a nossa potência e pode ser também um lugar de cura.

 
PERGUNTAS E RESPOSTAS

Sou desafinando, posso aprender a cantar?

É provável que você já saiba cantar. Quando você canta no chuveiro ou liga o som do carro no último volume e solta a voz ou ainda, quando embala o seu bebê com sua voz, você já está cantando. E a expressão da voz humana não precisa estar vinculada aos tons para poder ser expressiva e carregar muito de si mesma, da própria verdade. Mas, a experiência de alinhamento com as frequências, com os tons pode ser também uma experiência de descoberta, de encantamento e de auto-conhecimento. Então, se você gostaria que seu canto fosse mais afinado e que comunicasse mais aquilo que você quer expressar, esta é sim uma habilidade que se aprende ou melhor, se desvenda, se revela pra gente, especialmente através da escuta. Sim, escuta dos tons de forma atenta, imersiva, e escuta da nossa voz. Essa habilidade é também aprender a "pensar com os ouvidos", deixar o racional lógico de lado e se entregar à experiência do som. Este desafino percebido por nós como alguma coisa não bonita acontece geralmente porque ainda não aprendemos a escutar a nossa própria voz com a devida atenção, e também porque não conhecemos a nossa voz em todas as notas que queremos cantar. Para afinar, nada como se tornar íntimo da própria voz! Conhecer e saber dos recursos que ela possui. Conhecer a própria voz significa saber realizar certas conexões cerebrais que nos permitem ter controle dos músculos que acionam a voz para determinadas frequências (notas) específicas. "Acordar" o ouvido, a voz e o cérebro nestas funções é o caminho para cantar afinado. Há formas de se treinar a musculatura da laringe (pregas vocais), do trato vocal (ressonância) e o ouvido (percepção musical) para que possamos emitir sons com afinação mais precisa. É um processo muito rico e de abertura para o mundo sonoro da música e da nossa voz.

Em quanto tempo consigo aprender a cantar?

Já trabalhei com muitas pessoas que desvendaram a própria afinação em poucas aulas, mas o mais importante é não ter pressa e respeitar o seu próprio ritmo de aprendizado, ou melhor, de (re)conexão com a música. A pergunta que podemos fazer é onde se quer chegar e o quais são os desejos que você tem para o teu canto.  E a partir daí seguimos este percurso. É claro que existe um tempo natural de maturação do aparelho fonador, das musculaturas que envolvem a voz no canto, do treino auditivo e da afinação. Mas em apenas uma aula já é possível sentir a diferença no próprio canto, na própria voz e em algumas semanas é possível que você conheça e saiba mais sobre a sua voz e como que usá-la em uma música. Provavelmente, neste mesmo tempo, você vai começar a gostar mais de se ouvir e se sentir bem melhor cantando.

O canto pode me ajudar a superar a timidez e fazer com que eu me expresse melhor?

Sim. O canto é uma forma de expressão e, ao desenvolvê-la, você está adentrando em seu campo de expressão mais autêntico. Este é um dos objetivos desta abordagem de ensino, ou seja, o canto pode ser também um caminho para o auto-conhecimento. Quanto melhor se conhece, melhor e de forma mais verdadeira se consegue cantar e se expressar. E vice-versa.

Depoimentos dos alunos

Suas aulas englobam diversos aspectos e acredito que foi isso que me fez gostar tanto do seu trabalho. Tudo se conecta, tudo se conversa. Em uma aula nós falamos sobre voz, corpo, emoção, ciência. Um mix de conteúdo que deixa a aula muito mais dinâmica e que traz muito mais resultado.(...)A forma que eu sinto e interpreto uma canção hoje em dia é totalmente diferente de como era antes de trabalhar com voce. Principalmente se tratando de respiração, que conversamos logo nas primeiras aulas. Hoje sinto muito mais calma e segurança antes de qualquer frase que preciso cantar

Lucas Pavan , cantor e professor de canto

IMG-20200910-WA0023.jpg

Formação​

  • Musicoterapia na UNESPAR-FAP

  • Especialização em Canção Popular na Faculdade Santa Marcelina

  • Mestrado em Música e Educação na ECA-USP

  • Certificação completa no método de ensino de canto Somatic Voicework (™) de Jeanie LoVetri

  • Cursos em Cantoterapia na abordagem antroposófica do "Desvendar da Voz" 

  • Workshop com Meredith Monk Ensemble - New York City (EUA),  2015

  • Master Class com Gretchen Parlato (canto e performance no jazz), Miami University (EUA), 2015

  • Técnico Instrumentista em Violão - Conservatório Municipal de Presidente Prudente

  • Curso de Flauta Transversal na UNESPAR - EMBAP

Experiência

  • Professora colaboradora no curso de pós-graduação em Musicoterapia Aplicada da Faculdade Santa Marcelina - FASM com a disciplina Linguagem Musical: Improvisação

  • Professora da disciplina Técnica Vocal no curso de Licenciatura em Música do Centro Universitário Campo Limpo Paulista - UNIFACCAMP (2019).

  • Foi professora de canto na escola Canto do Brasil com supervisão de Regina Machado.

  • Realizou cursos pelo Sesc SP com foco para o canto

  • Foi professora de canto no Senac Santana - SP

  • Ministrou o curso "Cantar o Jogo" na Casa Tombada em São Paulo

  • Foi professora de voz para teatro no Studio Beto Siveira, Nilton Travessos e Escola SP de Teatro.

  • É professora de canto particular e musicoterapeuta com foco para o canto há mais de 20 anos

  • É cantora e musicista em projetos coletivos e em seu trabalho solo. Lançou os discos "Eu, Você e Maria" (2010, trio vocal), "Naif" (2015, solo autoral), "UMA" (2020, trio vocal autoral), além de 4 discos com o grupo Bayaka como flautista (2004 a 2009)

  • 150 Reais brasileiros

Agende uma aula

Assine e receba as últimas

dicas e tendências

  • Ícone do Facebook Branco
  • Ícone do Twitter Branco
  • Ícone do YouTube Branco